Estações Meteorológicas

Estação de Observação de Altitude ou de Radiossonda
A radiossonda é um conjunto de instrumentos e sensores para medir a temperatura do ar, umidade relativa e pressão atmosférica, enquanto é elevada na atmosfera até alturas típicas da ordem de 30 km, por um balão inflado com gás hélio. O deslocamento da sonda é registrado por uma antena GPS que permite a medida da direção e velocidade do vento. Os dados observados, minuto a minuto, são enviados via rádio para a estação receptora no solo que os processa, gera uma mensagem codificada e a envia para o Centro Coletor onde ocorrerá a distribuição global.

A Rede de Estações de Altitude Brasil conta com aproximadamente 40 estações e está distribuída entre o INMET, o Departamento de Controle do Espaço a Aéreo (DECEA) e a Diretoria de Hidrografia e Navegação da Marinha (DHN), que são órgãos operacionais.

Estação Meteorológica de Observação de Superfície Automática

Uma estação meteorológica de superfície automática é composta de uma unidade de memória central (“data logger”), ligada a vários sensores dos parâmetros meteorológicos (pressão atmosférica, temperatura e umidade relativa do ar, precipitação, radiação solar, direção e velocidade do vento, etc), que integra os valores observados minuto a minuto e os automaticamente a cada hora.

Estação Meteorológica de Observação de Superfície Convencional

Uma estação meteorológica convencional é composta de vários sensores isolados que registram continuamente os parâmetros meteorológicos (pressão atmosférica, temperatura e umidade relativa do ar, precipitação, radiação solar, direção e velocidade do vento, etc), que são lidos e anotados por um observador a cada intervalo e este os envia a um centro coletor por um meio de comunicação qualquer.

Os principais órgãos operacionais de meteorologia do Brasil que mantêm uma rede de observação em nível nacional são: O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) do Comando da Aeronáutica e a Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) do Comando da Marinha, ambos do Ministério da Defesa, além do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Ministério da Ciência e Tecnologia (INPE).

Observações: Para saber mais e ver todas as estações meteorológicas do Brasil acesse www.inmet.gov.br

Vorticidade: é um conceito matemático usado em dinâmica dos fluidos e relaciona-se a circulação ou rotação de um fluido. Em Meteorologia é uma propriedade física que caracteriza a rotação de grande escala das massas de ar (unidade indicada 10-5 s-1). Considerando a circulação atmosférica aproximadamente horizontal, a vorticidade (grandeza vetorial) é aproximadamente horizontal, onde é comum referir-se ao componente vertical da vorticidade como vorticidade escalar. Logo, no Hemisfério Sul, a vorticidade é negativa quando a parcela de ar tem uma rotação horária e positiva quando a parcela de ar tem rotação anti-horária. Em outras palavras, vorticidade negativa está associada ao centro de baixa pressão (mau tempo) e vorticidade positiva ao centro de alta pressão (bom tempo) Os campos correspondem aos prognósticos para 00, 06, 12, 18, 24,…,120 horas após a inicialização do MBAR, que acontece às 00 UTC e 12 UTC.

Divergência: é a medida de expansão de um campo vetorial (qualquer quantidade física que varia no espaço tri-dimensional). Em Meteorologia, devido à predominância de movimentos horizontais, a divergência usualmente refere-se à divergência horizontal bi-dimensional do campo velocidade (unidade indicada 10-5 s-1). A divergência horizontal do campo velocidade é relacionada às variações de movimento vertical e pressão, através das equações da continuidade e equações do movimento. Convergência é o negativo de divergência, sendo a contração do campo vetorial. Os campos correspondem aos prognósticos para 00, 06, 12, 18, 24,…,120 horas após a inicialização do MBAR, que acontece às 00 UTC e 12 UTC.

 

MBAR na grade de 7 km

As sete áreas deliminadas para o Brasil, correspondem a subdomínios no interior do domínio principal (América do Sul), com grades com espaçamento horizontal de aproximadamente 7km. Os resultados correspondem a uma evolução temporal para 48 horas de previsão, com intervalo de uma hora, para as variáveis vento, pressão reduzida ao nível médio do mar e temperatura do ar.
Temperatura do ar em superfície

É a subtração entre o campo de temperatura do ar em superfície em um dado horário e o campo 24 horas antes. Valores positivos indicam aumento de temperatura do ar em 24 horas. Por exemplo, diminuição considerável de temperatura do ar sugere que o modelo está prevendo a entrada de uma massa de ar frio sobre a região, enquanto que elevado aumento de temperatura do ar indica incursão de uma massa de ar quente sobre a região.

Temperatura do ar em 850hPa

É a subtração entre o campo de temperatura do ar no nível de pressão de 850hPa (aproximadamente 1500 metros de altitude acima do nível do mar) em um dado horário e o campo 24 horas antes. Valores positivos indicam aumento de temperatura do ar em 850hPa em 24 horas. Este campo representa a variação de temperatura na camada de ar próxima a superfície.

Altura Geopotencial em 500hPa

A altura geopotencial para o nível de pressão de 500hPa. Por definição geopotencial em qualquer ponto da atmosfera é o trabalho realizado para elevar uma massa de ar de 1 kg do nível médio do mar até aquele ponto. A partir desta grandeza deriva-se a altura geopotencial, que é medida em metro geopotencial (mgp), onde se divide o geopotencial pelo valor médio da aceleração da gravidade no nível médio do mar (9,80665 m/s2). Assim, pode-se determinar a altura dos níveis de pressão atmosférica num dado local, tendo como referência o nível médio do mar e não a elevação do local.

Fisicamente, a altura geopotencial é o trabalho requerido para levantar uma unidade de massa do nível médio do mar até um dado nível de pressão. Ela representa a altitude acima do nível do mar em que está um determinado nível de pressão, embora não seja exatamente a altitude verdadeira medida em metros. Esta grandeza é útil porque um dado nível de pressão não é paralelo a superfície terrestre, e estas variações de altitude do nível de pressão indicam algumas mudanças nas condições meteorológicas. Valores altos de geopotencial indicam alta temperatura na camada até a superfície.

Geopotencial em 500hPa

É a subtração entre o campo de altura geopotencial no nível de pressão de 500hPa (aproximadamente 5800 metros de altitude acima do nível médio do mar) em um dado horário e o campo 24 horas antes. Valores positivos indicam aumento de geopotencial em 24 horas. Este campo representa a propagação dos sistemas meteorológicos em níveis médios da troposfera, prevista pelo modelo. Valores negativos indicam aproximação de sistemas frontais, enquanto que valores positivos indicam a aproximação de centros de alta pressão, que se caracterizam por inibirem a formação de nuvens. Este campo é relevante para a previsão de tempo nas regiões extratropicais.

Pressão ao nível médio do mar

É a subtração entre o campo de pressão reduzido ao nível médio do mar em um dado horário e o campo 24 horas antes. Valores positivos indicam aumento da pressão atmosférica em 24 horas. Este campo representa o deslocamento dos centros de alta e baixa pressão ao nível médio do mar, previsto pelo modelo. Diminuição de pressão (aproximação de um centro de baixa pressão) pode indicar condições favoráveis ao aumento da instabilidade na atmosfera, o que favorece a formação de nuvens, enquanto que aumento de pressão (aproximação de um centro de alta pressão) desfavorece a formação de nuvens de chuva. Este campo é relevante para a previsão de tempo nas regiões extratropicais.

Omega em 500hPa

A variável meteorológica omega representa a velocidade vertical do vento em coordenada de pressão (hPa/s). A componente vertical do vento é usualmente 1000 vezes menor que a componente horizontal. A velocidade vertical do vento em hPa/s (omega) é negativa para movimento ascendente do ar e positiva para movimento descendente, ou seja, no campo omega os valores negativos representam ar subindo e os positivos, ar descendo. As regiões de movimento ascendente estão sempre associadas à instabilidade atmosférica, ou seja, áreas favoráveis ao desenvolvimento de nuvens.

 

Umidade Relativa à 2m

É a razão entre a razão de mistura existente no ar, a uma dada temperatura e pressão, e a razão de mistura necessária para que ocorra a saturação, nas mesmas condições de temperatura e pressão. A umidade relativa é expressa em porcentagem, assim 100% de umidade relativa do ar significa dizer que o ar está saturado, o que favorece a ocorrência de chuva. A umidade relativa do ar à 2m 850hPa representa a quantidade de umidade em toda a camada de ar próxima a superfície. Este parâmetro é importante para a determinação da instabilidade na atmosfera, auxiliando na previsão de tempestades.

Cisalhamento Vertical do Vento entre 250hPa E 500hPa

O cisalhamento vertical do vento entre 250hPa e 500hPa é calculado pela diferença entre o vento horizontal em 250hPa e 500hPa. Esta grandeza é muito importante na determinação de tipos de tempestade e no potencial da severidade da tempestade. Tempestades que ocorrem em cisalhamento vertical fraco não costumam durar muito tempo, enquanto que tempestades com valores altos de cizalhamento em altos níveis podem ser mais severas e ter uma duração maior.

Cisalhamento Vertical do Vento entre 700hPa E 950hPa

O cisalhamento vertical do vento entre 700hPa e 950hPa é calculado pela diferença entre o vento horizontal em 700hPa e 950hPa, representando a variação dos ventos em baixos níveis da atmosfera. Tanto a mudança da velocidade do vento, como a mudança da direção do vento com a altura são bons indicativos de tempestade severa. Valores altos de cisalhamento em baixos níveis são favoráveis a formação de tempestade intensa com duração de menos de um dia e em alguns casos tornado.

 

146 total views, 2 views today