Como Voar

Este guia foi criado com o objetivo de mostrar ao aluno o que esperar de seu curso, quais serão suas obrigações e direitos como piloto. Mostrar-lhe a hierarquia no vôo livre, os órgãos e também lhe dar algumas dicas sobre a escolha do seu primeiro parapente.

O QUE VOCÊ DEVERÁ APRENDER EM SEU CURSO
No fim de seu curso prático, você já deverá saber abrir seu Parapente, conectar-se sozinho, fazer a checagem, inflar com segurança, fazer seu vôo tranqüilo, realizar uma boa aproximação e um bom pouso. Não se preocupe com aquele medo que acompanha os primeiros vôos. Se você leu seu MAPIL, está atento as indicações de seu instrutor e respeita as condições de vôo e sua experiência, então este medo só irá contribuir para um crescimento seguro. Nem todos os alunos se tornam grandes pilotos. Se você decidir por ser um piloto de fim de semana, ótimo. Basta respeitar sua decisão e voar dentro dos seus limites. Se quiser mais, melhor ainda, só não tente dar um passo maior que a vela. Observe os níveis que tem que passar e não tente pular nenhum deles. Se acelerar o processo pode tomar um susto que vai levá-lo de volta ao morrinho da escola.

Durante seu curso, você irá receber aulas teóricas. Nelas aprenderá o básico sobre:

O Equipamento – O que é um Parapente, suas partes e seu funcionamento. O que significam L/D, Envergadura, Alongamento, Razão de descida, Área, Carga Alar, Numero de Células, Curva Polar e os equipamentos de vôo.

Mecânica do Vôo – Arrasto, sustentação e estol.

Fases do vôo – Decolagem, a checagem, o vôo, as regras de tráfego, vôo de lift, vôo de térmica, descida rápida, aproximação e pouso.

Homologação de equipamentos – Órgãos responsáveis e critérios adotados.

Meteorologia – Vento, Nuvens, Micrometeorologia.

Situações anormais, Manobras avançadas e emergências – Fechamento assimétrico, Fechamento Simétrico, Cravete, Parachutagem, Estol de B, Espiral, Estol de C, Negativa, Gravata, Pilotagem sem freios e Acionamento do Reserva .

Segurança em vôo.

Normas de Nivelamento de Piloto – Nas aulas práticas aprenderá também a realizar orelhas, como manobra de descida de emergência. E na teoria deverá estar bem condicionado em como sair de um fechamento assimétrico e uma negativa.

A HIERARQUIA DO VÔO LIVRE
Todo piloto deve ser filiado a um clube de vôo e estar sujeito as regras e obrigações do mesmo. A FCVL presta contas a Federação Brasileira de Parapente e a ABP por sua vez está sujeita ao Departamento de Aviação Civil (DAC). Cada região do Brasil tem também um Serviço Regional de Aviação Civil (em SC o SERAC5) que junto com o DAC supervisiona e fiscaliza o vôo, os pilotos e as rampas de sua região.

OS DIREITOS E DEVERES DO ALUNO
Quando concluir seu curso você deverá se apresentar a JCVL para prestar o Exame de Piloto Nível I (no caso do interior, se apresente a diretoria técnica do clube ao qual irá se filiar). Este exame é uma prova teórica de seus conhecimentos baseada no MAPIL (Manual do Piloto de Parapente). Para aprovação deverá obter 80% de acerto. Quando for prestar o exame você deverá levar 3 fotos 3×4, um atestado médico de capacitação física e mental e um xerox de sua carteira de identidade e do CPF.
Ao filiar-se você tem o dever de pagar algumas taxas.
Informe-se antes sobre o valor da cobrança de seu Clube para não se surpreender depois. Sendo aprovado no exame, FCVL enviara sua documentação a ABP eABVL e ao DAC para cadastramento e no prazo máximo de dois mêses você receberá seu CPD (Carteira de Piloto Desportivo) do DAC e a carteira da FCVL. Estará então habilitado a voar em qualquer rampa do país (desde que em dia com seu clube), e poderá participar de eventos e campeonatos.
Tenha em mente que a responsabilidade de um piloto Iniciante é de seu instrutor e sua escola. Você deve sempre atender suas orientações, ele é um piloto credenciado e capaz de avaliar seu desenvolvimento e saber como guiá-lo. Caso tenha alguma dúvida ou se sinta inseguro quanto ao seu curso, pode recorrer a FCVL para orientação e ajuda.

QUE PARAPENTE COMPRAR?
Quando se formar ou até mesmo um pouco antes, você vai querer ter seu próprio Parapente. A melhor opção é comprar tudo de primeira mão e a pessoa mais indicada para lhe receitar um Parapente é seu instrutor. Mas nem sempre as coisas funcionam assim.

Se você quer começar com um Parapente usado (mais barato), deve ter certeza de sua procedência, para que tipo de piloto ele foi feito e principalmente qual o estado do equipamento. Nem sempre o que você vê é a verdade. CUIDADO! Infelizmente existem muitos pilotos (e até alguns instrutores) que tentam se livrar de seus parapentes encalhados empurrando-os nos novatos. Alguns são bons parapentes de escola que só servem para alunos recém formados (até aí tudo bem!). Entretanto outros são parapentes em péssimo estado ou para pilotos mais experientes e estes representam um perigo para você.

Uma pausa para lhe explicar o assunto:

Parapente Escolinha ou Saída de Escola – é exatamente o que um piloto recém formado deve usar. Ele foi feito para pilotos que ainda não passaram por condições adversas e ainda não tem o reflexo e condicionamento de quem já voa a mais tempo. Resumindo, ele perdoa mais e vai te dar mais segurança para seus primeiros vôos.

Parapente Intermediário – São para aqueles pilotos que já fazem seus vôos de térmica, já tem um experiência razoável e estão procurando mais performance. Vai ser com certeza seu segundo Parapente. Estas velas normalmente tem um bom nível de segurança (quase como os saída de escola), mas por serem mais velozes, com maior planeio e mais alongados exigem um piloto mais qualificado.

Parapente Avançado ou Performance – Bom, este aí é certamente para pilotos mais avançados como o próprio nome diz. Ele precisa de um piloto atento e ativo para controlá-lo e apesar de seu bom nível de segurança não irá ajudá-lo quando você mais precisar. Normalmente o piloto é que ajuda a vela avançada a se comportar.

Parapente de Competição – Nem precisa explicação. Estes são feitos para pilotos de competição.
Depois desta breve explicação, você sai e encontra um voador antigo que diz que você está com a mão muito boa e que ele tem um parapa de alta que é uma mãe e que você vai se dar muito bem com ele e o precinho é especial. Diz que você vai fazer grandes vôos e se destacar entre os ‘principiantes’. Não se iluda! Se você tiver uma mão muito boa mesmo ‘pode ser’ que seu instrutor te recomende um intermediário bem comportado, e olhe lá !
Nós não estamos falando de um motor que vai andar mais nem uma caranga mais arrumada que vai atrair todas as gatas e os caras vão ficar babando. Estamos falando do seu lindo pescocinho. Depois de um tempo você vai descobrir que o vôo livre não perdoa, se você abusar vai levar. Agora que você encontrou o prazer de voar e quer voar até os 70, vá devagar. Até hoje ninguém se prejudicou por evoluir com cuidado, mas conheço vários casos de pilotos que quiseram pegar velas acima de seus níveis e descobriram depois que não era pra eles (alguns da maneira mais difícil). O pior é que eles acabaram empurrando estas velas em outros pilotos desavisados que descobriram o mesmo.
Concluindo, procure a orientação de seu instrutor e não se arrisque.

98 total views, 1 views today